PRÉMIO NACIONAL DIREITOS HUMANOS

O concurso para o Prémio Nacional "Direitos Humanos" 2019 foi lançado a 17 de Maio e o prazo para a apresentação de candidaturas decorre até 15 de Julho. Saiba mais e aceda ao Regulamento.

A edição de 2019 do PNDH conta com novas categorias e prazos mais alargados para a apresentação de candidatuas. Além disso, nesta edição a revelação dos vencedores será feita no dia 25 de Setembro, Dia Nacional dos Direitos Humanos.

Aceda ao Regulamento no link em baixo:

REGULAMENTO DO PRÉMIO NACIONAL DIREITOS HUMANOS 2019

 

Historial

O Prémio Nacional "Direitos Humanos" foi instituído no âmbito das atribuições da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC) em matéria de Educação, e conforme previsto nos seus Estatutos, com o objetivo de distinguir instituições e personalidades que, com as suas ações, conduta ou atividade têm contribuído para a promoção, estudo e defesa dos Direitos Humanos e da Cidadania em Cabo Verde.

Instituído para dar visibilidade às boas práticas existentes nos domínios de atuação da CNDHC, o PNDH já foi atribuído por seis vezes: 2007, 2008, 2011, 2013, 2015 e 2017.

Inicialmente previsto com uma regularidade anual, o Prémio foi relançado em 2011, com uma periodicidade bienal. Os vencedores passaram a ser contemplados com uma escultura, denominada “Pomba Crioula”, uma quantia em dinheiro, e um Diploma de qualificação. Prevê-se, ainda, a atribuição de menções honrosas. 

 

Pomba Crioula

A “Pomba Crioula” é a escultura que os premiados recebem no Prémio Nacional Direitos Humanos. Trata-se de uma peça única, da autoria do conceituado artista plástico cabo-verdiano Leão Lopes. É composta por uma pomba ainda bebé, pousada num plinto, sugerindo jovialidade, esperança e utopia.

O artista inspirou-se no símbolo universal dos Direitos Humanos, que foi “crioulizado”, com o recurso a materiais e conceitos relacionados com a realidade cabo-verdiana, nomeadamente grés, caulinite de Santo Antão, latão e miolo de acácia. A peça foi confecionada no Atelier Mar, em São Vicente, pelos mestres artesãos Albertino Silva, José Silva, Carlos Andrade e João Fortunato.

 

Vencedores

 

Edição 2017

Categoria Personalidade

Vencedor: Dionísio Pereira


Categoria ONG’s

Vencedor: Centro De Iniciativa Juvenil Katchás
Menção Honrosa: Instituto Religiosas Adoradoras - Kredita Na Bo
Menção Honrosa: Associação de Estudantes e Investigadores Guineenses Residentes em Cabo Verde (AEIG-CV)


Categoria Associações Comunitárias

Vencedor: Associação Comunitária Unidos pela Boa Vista (ACUB)
Menção Honrosa:  Associação Apoio a Crianças de Terra Boa (AACTB)
Menção Honrosa: Associação Pilorinhu


Categoria Estudo Científico

Vencedor: Nardi Sousa – “Uma Análise Comparada dos Direitos Humanos e Cidadania dos Imigrantes em Cabo Verde e São Tomé e Príncipe: (1991 -2015)”
Menção Honrosa:  José Jorge Dias - “A Delinquência Juvenil em Cabo Verde: Da Caraterização do Fenómeno à Contextualização Sociocultural”
Menção Honrosa: Tito Gonçalves - “Ajuste escolar e bem-estar psicológico dos adolescentes em Cabo Verde”


Categoria Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz

Vencedor: Movimento Jovens pela Paz
Menção Honrosa: Rede de Prevenção de Abuso Sexual de Menores

 


Edição 2015

Categoria Personalidade

Vencedora: Maria Isabel Alves “Misá”

 

Categoria Estudo Científico

Vencedora: Dionara Amparo dos Anjos Graça – “Estudo Políticas Públicas Cabo-Verdianas contra a Violência Baseada no Género”
Menção Honrosa: Carlos Alexandre Bellino Sacadura – Capítulo 4º Educação Para a Cidadania e os Direitos Humanos, da obra da sua autoria Estudos Sobre Filosofia da Educação na Perspetiva da Ciência, da Arte e dos Valores

 

Categoria ONG’s

Vencedor: Aldeias Infantis SOS de Cabo Verde

 

Categoria Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz

Vencedor: Associação Delta Cultura de Cabo Verde
Menção Honrosa: Associação Pilorinhu

 


Edição 2013

Categoria Personalidade

Vencedor: Honório Fragata

 

Categoria Estudo Científico

Vencedora: Irene Santos da Cruz – “Estudo Filosofias da Imigração: Cosmopolitismo versus Comunitarismo”
Menção Honrosa : Carlos Tavares - “Democracia participativa, cidadania e planeamento do território: análise da participação pública no caso cabo-verdiano”

 

Categoria ONG’s

Vencedor: Fundação Infância Feliz
Menção Honrosa: Rede Laço Branco Cabo Verde

 

Categoria Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz:

Vencedor: Associação Simenti
Menção Honrosa: Vanilson Gonçalves 

 


Edição 2011

 

Categoria Personalidade

Vencedor: David António Cardoso

 

Categoria Estudo Científico

Vencedor: Leão Jesus de Pina – “Cabo Verde: Cultura Política, Cidadania e Democratização”
Menção Honrosa: Maria Odete Andrade – “A transição escola-trabalho em Cabo Verde: os sentidos da qualificação profissional para os jovens de baixa renda”

 

Categoria ONG’s

Vencedor: Associação Mon na Roda

 

Categoria Associações Comunitárias

Vencedor: Associação Chã de Matias

 

Categoria Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz

Vencedor: Espaço Aberto Safende
Menção Honrosa: Bernardino Fernandes Gonçalves

 


Edição 2008

Categoria ONG’s

Vencedor: Associação Para a Solidariedade e Desenvolvimento Zé Moniz

 


Edição 2007

Categoria Estudo Científico

Vencedora: Eurídice Monteiro – “Mulheres, Democracia e Desafios Pós-coloniais: Uma Analise da Participação Politica das Mulheres em Cabo Verde”

 

Categoria ONG’s

Vencedor: Acarinhar – Associação das Famílias e Amigos de Crianças com Paralisia Cerebral

 

Categoria Reportagem

Vencedora: Maria de Jesus Lobo – Documentário televisivo Crianças com Paralisia Cerebral em Cabo Verde: Quebra o teu silêncio com um gesto de amor